Browse By

Flipoços 2018: Nadadora fala sobre abusos sexuais que sofreu na infância

O abuso sexual foi tema de um debate promovido na tarde desta terça-feira, 1º, durante o quarto dia do Festival Literário de Poços de Caldas – Flipoços 2018. O assunto foi discutido durante a mesa Literatura e Informação contra Abuso Sexual, baseada no livro “Não me toca, seu boboca!”, da escritora Andrea Viviana Taubman, que participou do debate juntamente com a nadadora Joana Maranhão, 31 anos, representante do Brasil em mundiais de natação e medalhista nos Jogos Pan Americanos de Guadalaraja e Toronto.

O debate serviu para conscientizar os pais sobre a importância do diálogo com os filhos – foto Bruno Alves

Mediado pelo promotor Sidnei Boccia, que abordou a legislação referente ao tema, o debate teve início com o forte depoimento da nadadora. Ela narrou os abusos que sofreu do próprio treinador, que era amigo da família e considerado uma pessoa de confiança. Joana treinava com o técnico desde os 9 anos de idade, quando começaram os abusos. Em 2008, ela denunciou o ex-treinador que a molestava dentro da piscina.

Após a denúncia da atleta, entrou em vigor uma lei que aumentou o prazo de prescrição de crimes que envolvam violência sexual contra crianças e adolescentes. A lei recebeu o nome de Joana Maranhão.

O debate serviu de alerta para os pais e mostrou a importância do diálogo franco com os filhos. Segundo o promotor Sidnei Boccia, 70% dos casos de abusos são praticados por pessoas da convivência das vítimas.

A escritora Andrea Viviana reforçou a temática com trechos do livro “Não me toca, seu boboca!”, que trabalha a questão do abuso sexual sofrido por crianças e adolescentes. O livro foi o quarto escrito pela autora, que acredita que a criança precisa ser verdadeiramente ouvida, principalmente no meio familiar.

A escritora levou 7 anos para escrever o livro, que é baseado em pesquisas realizadas com a ajuda de uma equipe técnica, com o objetivo de traduzir o universo sombrio vivido pelas vítimas de abuso. Como mãe e voluntária de abrigos de crianças vítimas de abuso, a autora encontrou uma forma delicada de informar não só os pais, mas também a criança, para que ela consiga encontrar caminhos de denunciar os abusos sofridos.

O livro “Não me toca, seu boboca!” recebeu na última sexta-feira, 27, o prêmio Neide Castanha, ligado aos direitos humanos. Trechos técnicos baseados na pesquisa do livro já são usados em entrevistas com as vítimas de abusos. A didática do livro faz com que crianças a partir de 5 anos entendam o que está acontecendo de errado ao seu redor e consigam analisar e identificar o comportamento de sedução do abusador para, por fim, denunciá-lo.

Serviço
O Flipoços teve início em 28 de abril e vai até 06 de maio, no Espaço Cultural da Urca, juntamente com a Feira Nacional do Livro. Neste ano, a temática do evento é “A literatura e os outros saberes”. A programação completa e mais informações sobre o evento estão disponíveis no site www.flipocos.com.

 

 

One thought on “Flipoços 2018: Nadadora fala sobre abusos sexuais que sofreu na infância”

  1. Pingback: Nadadora fala sobre abusos sexuais no Flipoços 2018 - Portal Onda Sul
  2. Trackback: Nadadora fala sobre abusos sexuais no Flipoços 2018 - Portal Onda Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *