Browse By

Poços 146 anos – As Marcas do Progresso (2) Roberto Tereziano

Mesmo antes da fundação oficial de Poços de Caldas as pessoas que passavam pelas imediações daquele sertão já registravam a existência das nossas águas curativas.

Em cartas ou notícias de jornais era possível encontrar noticias de pessoas que por aqui passaram e sentiram grande recuperação ou mesmo cura de seus males, especialmente em um período que se desconhecia os antibióticos.

Uma das referidas cartas, publicada em um antigo jornal do Rio de Janeiro, ainda no tempo do império, cobrava grosseiramente das autoridades da época, a falta de interesse pelas fontes tão preciosas no tratamento de várias doenças e, que em outros países seriam tratadas como verdadeiro tesouro, no Brasil se perdia gratuitamente deixando que suas águas se misturassem com lamaçal e esgoto.

Foram tais cobranças que fizeram com que nossas autoridades começassem a olhar com mais atenção para as nossas fontes hidrotermais.

Em 1865 já existiam algumas dezenas de casas, uma primitiva escola para as primeiras crianças e até uma pequena farmácia comandada pelo professor e farmacêutico “Mestre Sá.”.

Mas o grande impulso da localidade como estancia começa em 1871 quando um jovem e recém-formado médico, Dr. Pedro Sanches de Lemos se muda para Poços de caldas e começa a estudar e analisar de forma científica as águas de Poços de Caldas.

Dr. Pedro Sanches leva para países que já utilizavam o poder das águas em tratamentos de várias doenças, as águas de Poços de Caldas.

Foram os grandes laboratórios da França e da Alemanha que oficialmente confirmaram o poder curativo de nossas fontes sulfurosas.

A história da estancia se divide em duas partes. A primeira, antes de Pedro Sanches e a segunda, posterior ao médico que passou a ser considerado o criador do termalismo no Brasil.

2 thoughts on “Poços 146 anos – As Marcas do Progresso (2) Roberto Tereziano”

  1. Carlos Carrara says:

    Parabéns meu grande amigo, como é maravilhoso ver o sucesso daqueles que convivemos na infância , um grande abraço , e continue sempre a nós prestigiar com matérias que nos fazem reviver momentos de nossa amada terra.

    1. Roberto Tereziano says:

      Olá amigo, um grande abraço. Sempre é bom que a juventude saiba que se temos uma cidade, ainda, esplendida, muito se deve aos grandes do passado que a fizeram bela. Precisamos arrumar tempo para os nossos bate papo que a muito não acontece. Um grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *